11/01/2013

"My other bag is Chanel"


Queridos Amigos,
Até hoje ao final do dia estava completamente a leste do paraíso e não sabia nada do que se estava a passar com este autêntico furacão na blogosfera. Estive todo o dia em trabalho fora e foi quando cheguei ao escritório no final do dia que, sabendo das minhas actividades blogueiras, me deram a notícia deste autêntico furacão. Não há blog que não fale disto,  o facebook entupiu com páginas sobre isto, uma das quais vai em mais de 11.000 likes só em 2 dias e é tema de todos, desde o Bruno Nogueira e até o Miguel Esteves Cardoso que também escreveu sobre isto. Do Expresso online ao jornal "i" todos têm a notícia pelo impacto negativo que causou esta pretensa campanha publicitária da samsung em que uma bloguer  de moda, ao falar das suas aspirações para o ano 2013, refere uma mala chanel como o seu desejo e como "uma conquista pessoal" para este ano. De repente, ocorre um fenómeno de indignação geral sem precedentes com um impacto tal a que não consigo dar explicação mas alguma - ou várias - deve ter.
No meio disto tudo fico muito feliz por
ver as pessoas indignadas  com o facto de alguém dizer que é "uma conquista pessoal" e o desejo para o ano de 2013 ... conseguir ter uma mala Chanel. De repente, parece que todos começaram a perceber que há valores mais altos do que a Chanel, os carros, as viagens, ..., .... Parece que estou noutro País, de menos consumismo e atenção para valores mais elevados como seja essa simples consideração de que há coisas infinitamente mais importantes na vida do que "tralhas", seja ela uma Chanel, um automóvel ou uma viagem à neve. E isso é muito, muito positivo.
Da rapariga... nunca mais se ouviu falar e eu imagino o que ela deverá estar a passar neste momento com a cara dela em tudo o que é jornal, páginas de facebook, com milhares (!) de pessoas a dizer o pior que se pode dizer de uma pessoa.
É claro que a rapariga teve um deslize muito, muito - mas muito mesmo - infeliz e deu uma imagem externa de si própria muito aterradora. Sim, aterradora. Ponto. Porque, para não falar da Samsung, quem ficou mal na fotografia foi ela própria, a sua pessoa e isso é tristíssimo e deve estar a sofrer horrores com isto tudo. Esse é um problema dela e  neste momento já  deu conta da bronca e acho que a palavra chanel nunca mais lhe vai sair da boca e que os desejos de "conquistas pessoais" neste momento estão já muuuuuito longe da dita cuja chanel que deve  ter passado de "fica bem com tudo" para "objecto de destroços". Pessoais e outros. Penso como estará a passar agora. 
Eu própria agradeço aqui a todos os comentários que, a este propósito, fizeram às bloguers de moda, nas quais eu me insiro sem problema nenhum, seja de preconceito ou falsa modéstia. O mais simpático que li foi "fútil" e muito obrigada pela parte que me toca.  Mas tenho de responder  a este "fútil". É que a moda não é nada de fútil. A moda só é fútil para quem pensa que nós só somos corpinho, o que não é o meu caso, que fique bem claro. A moda só tem importância - e não é fútil - precisamente pelo facto da importância que todos nós, seres humanos (e não só corpinho) temos. Por isso, façam lá favor de me excepcionarem a mim da categoria dos "fúteis". Ok. Admito  permanecer na de "cambada de anormais", que até sou um bocadinho. Fútil é que não. ok? Pelo contrario, é pela IMENSA importância que eu acho que todos temos - ser humanos (= corpo e alma) que considero que a moda é muito importante e tem uma raiz antropológica fundamental.  Podiam-me chamar fútil se eu considerasse que nós só somos matéria, mas esse não é o meu caso. Se fosse, como já aqui disse, ía vestir caniches que ficava mais barato e a mim vestia-me sempre com o mesmo traje que me dava menos trabalhinho. Para não entrar noutros temas como o de "cabelos"...
Da pesquisa que fiz, encontrei uma entrevista com esta rapariga em que ela diz que tem tem os mesmos leitores que eu tenho, por dia, neste blog. Mas de repente verifiquei que ela passou das 400.000 entradas e ultrapassou já as 500.000.... Estes fenómenos têm estas virtualidades.
É verdade que uma pessoa possa ter como aspiração na vida ter uma chanel e, numa altura em que há gente a passar fome, vá gastar milhares de euros numa. Cada um faz com o seu dinheiro aquilo que quer da mesma forma que disso prestará contas, quando tiver de prestar. Penso que o que levou a este escândalo gigantesco foi a mudança de mentalidade das pessoas que já não se permitem estes tipos de raciocínios puramente consumistas. Mas foi mais: foi  o facto de uma marca se associar a isto.  Porque não é preciso ser especialista em marketing nem em publicidade para perceber que isto ía dar bronca da grossa, Como deu. Porque as pessoas se sentem ofendidas com isto e o problema agora não é só da rapariga, é sobretudo da Samsung. Quem estaria  interessado em saber da  fixação da rapariga na chanel? Talvez os pais ou os amigos lhe pudessem dizer "toma um Tocafé que isso passa" que ainda és nova e mais nada. Mas foi a marca que se associou a ela e lhe deu esta visibilidade. Ao blog dela só vai quem quer...
E uma marca o que quer é vender e, por isso, tem de se associar aos valores humanos que ela quer atingir  Se uma marca não tiver valores humanos, ela não vende. Quem compra são pessoas e as pessoas, em geral (há excepções) não são estúpidas e só gostam do que tem associados valores que lhes digam alguma coisa, que lhes tragam uma mais valia e, no caso, se associem a valores humanos. E foi essa a asneira grossa da Samsung. É que ter na vida a aspiração de "conquistar" uma chanel não é um valor humano... Simplesmente porque nós não valemos pelo que temos. Valemos pelo que somos. Ajudar os outros, ser um profissional de excelência, a amizade, a alegria, a paz, a valentia, isso, e muitos outros, é que são valores humanos. E por isso é que, neste blog, se carregarem na pesquisa de Dolce & Gabanna, Lanvin, Tommy Hilfiger, Loewe e Louis Vuitton vão encontrar as campanhas publicitárias melhores dos últimos tempos. As que apelam para valores eternos como a família, para pessoas com valores e, num rasgo de genialismo, para pessoas mais velhas (para não dizer idosas) como foi o caso da Lanvin e da Loewe. E - pasme-se! - até o calendário Pirelli (também o encontram neste blog!) preferiu agora fotografias com pessoas conhecidas pela sua ligação a causas humanitárias em vez de modelos esculturais em "pelota" e poses pornográficas ou hard-core, ou como quiserem, como até aqui era  a tradição!
Já se sabia que isto ia dar para o torto num País onde as pessoas andam a lutar pela sobrevivência (eu sei do que falo) e já não têm mais por onde esticar. Este desejo para 2013 custou caro a esta rapariga.
Esperemos que fique bem. Todos erramos. Todos temos direito a retificar e ninguém pode ser crucificado na praça pública. 



Beijinho da Maria

10 comentários:

Mariana Amaral disse...

Concordo contigo!.... beijinhos*

Luisa Veiga disse...

like!

Luisa Veiga disse...

like!

Maria disse...

Obrigada queridas pelos comentários que são tão importantes para mim!

Provoca-me disse...

Ainda não acabei de ler, mas estou a gostar muito. Isto que aconteceu é mais do que natural, uma carrada de betos a falar para a Samsung uns com mais arrastar na fala que outros, uns a dizer ai catorreira, como essa pindérica. Era do mais natural, ainda por cima, sai-se com um desejo fútil, e de todas as mensagens não se tira sumo nenhum, ao contrário dos teus 3 parágrafos que li. E aquilo não deu só azo a que as pessoas ficassem chateadas, foi um fartote de riso por todo o lado. A tia pode estar a sofrer horrores que a mim não me aquece, nem me arrefece, e ela não se sente arrependida, mais se esforçava a jornalista por defendê-la do que ela própria. Ela está num patamar acima do meu, e da maioria do povo, que é o patamar do rico, do melhor, da casa de luxo... e não precisamos de pessoas assim, lá que o governo adore ter pessoas fúteis, ridículas, e que digam isto, e não saibam mais nada na vida, é outra história. Mas é muito bem feito.

Provoca-me disse...

A rapariga tem 25 anos, a fase da adolescência já passou. O mal é que esta gente vive noutro mundo, com todas as regalias. Mas com 25 anos já tinha que ter obrigação para perceber que há coisas que não se devem dizer, muito menos dizer que ganha 700€ e tem um trabalho precário, alguma vez? E que ela só fala como fala porque o governo lhes dá tudo, e a nós rouba tudo, e ainda vai fazer o vídeo a cagar toda a sua betisse. Eu sei que os betos não querem saber do país para nada, nem das outras pessoas, mas teriam obrigação disso. Tal como ela não tem, e isso é que chateia. Chateia e dá vontade...

Provoca-me disse...

Parabéns pelo seu texto. Claro que está no legítimo direito de dizer que ninguém deve ser crucificado em praça pública, mas não concordo. Um governo que dá aos bancos e tira das escolas, da saúde, que dá a barragens, estradas que são coisas sem jeito nenhum, precisam de ser crucificados sim, e a moça só teve o que mereceu. Claro que os valores humanos são essenciais, e todo o seu texto mostra que não é fútil porque pensa, porque deve ter cultura geral, e que se lhe entrevistassem não se punha a dizer tipo, tipo, ai estou a gostar imenso. Nem que queria uma mala channel. E depois é hipócrita dizer que passam dificuldades, numa casa de luxo, com roupas de luxo, e quer uma mala daquelas.

Por fim, os portugueses ainda são muito consumistas, egoístas, e ainda não melhorou só porque agora há mais dificuldades, viu-se no Natal, e vê nos saldos, esta mentalidade imposta, é para que as pessoas sejam consumistas, esta polémica surgiu porque as pessoas passam fome, e aquela sabuja foi naquela eu sou tia, sou fútil e quero uma mala channel, os outros que se lixem. Pronto. Peço desculpa as palestras.

Pedro Marques

Maria disse...

Muito obrigada Pedro! Não tem de pedir desculpa pelas "palestras" e tenho de lhe agradecer - pedir que venha mais vezes! - e dizer que o compreendo muito bem e que sinto a sua angústia pela forma como as PESSOAS são tratadas pelos governantes. Sim! Isso eu entendo muito bem e "vejo" isso nas entrelinhas do que escreve. É muito amargo e estou consigo completamente no que escreve sobre este tema. E sabe? Mais uma vez penso que é porque se esqueceram dos valores humanos, de que a obrigação deles, políticos, é, em primeiro lugar, o bem das pessoas, o bem comum. Isso está escrito há muitos anos (já os romanos, antes da decadência do império, o proclamavam com a "res publica" = "coisa pública" que veio a dar origem à palavra república e, se pesquisar, "Rerum Novarum" de 1891 (imagine!), julgo que lá encontra isto e basta ler apenas os 1ºs parágrafos para ficar absolutamente estupefacto com o que aí se diz e que é solução para o que vivemos!). Mas infelizmente, os políticos esquecem-se ou não querem saber disso. Ou são simplesmente incompetentes? Espero tê-lo aqui mais vezes e convido-o a seguidor. Temos tido momentos, neste blog, de descontracção e distracção de que andamos TÃO precisados. Obrigada Pedro. Os seus comentários foram importantes para mim.

Provoca-me disse...

Obrigado eu pela simpatia, e por me ter recebido tão bem. Maria, nem todos os políticos são assim. Tal como nem todas as pessoas que trabalham na moda são como a Tia Pépa, como tão bem aqui demonstrou. Faltou ser-se duro na Revolução dos Cravos, e não deviam ter sido cravos. Pois os pides ficaram a gozar connosco, como os governantes e os bufos. E agora é ver o que temos hoje.

Pedro Marques

Anónimo disse...

It's remarkable for me to have a web page, which is beneficial designed for my experience. thanks admin

Take a look at my web site; Bitcoin Trading Robot