08/10/2014

Quer ser a "mais sexy"? Eis os mandamentos.

Mandamentos para ser a mais sexy de um país como Portugal:

Pontos prévios a ter em conta:
 (i)  Foque-se no corpo. O seu campo é exclusivamente físico. Exclua tudo o resto. É fundamental que esqueça a pessoa que você é.
(ii)  O seu objetivo é "atração" e esqueça a "admiração": não é isso que se pretende e não é isso que vão sentir por si.

Regras;
 1. Não perca tempo e vá direta ao que interessa e actue logo no campo do ordinário. De preferência, não deixe nada de fora: desde o modo falar, ao que diz, até à forma como come. Por exemplo, nunca deixe de lamber os dedos num gesto ultra sexy. Se puder, tire as coisas das travessas com a mão e abra muito a boca antes de as meter lá dentro. Meta também a educação no armário, de preferência, da arrecadação que não volte a abrir. Neste campo nunca "saia do armário" pois corre o risco de perder o estatuto. Coma de boca cheia e mostre muito apetite e finja sempre que gosta de comer. Fale aos gritos e nunca deixe de dizer ordinarices, de preferência relacionadas com a sua roupa interior e com as suas experiências passadas, por exemplo, o que fez na noite anterior e, se não tiver feito nada: invente.
2. Se estiver em público (em casa não tem o mesmo efeito): use só roupa que mostre as partes íntimas do seu corpo: saias entre 10 a 20 cm (máximo) abaixo da anca e decotes que por nada deste mundo deixem o seu rico património sem ser à vista, sobretudo se investiu nele um bom par de ações, Lembre-se: vale tudo desde que não deixe qualquer homem indiferente, ou seja, teso, como dizia o outro. Mostre sempre mais do que é suposto e, de preferência, para um público de milhões.  Não se limite ao Batalhão de Sapadores Bombeiros de Algés ou de Campo de Ourique. O seu objetivo deve ser chegar a milhões de expectadores, sendo que este alcance só valerá a pena se estes milhões a passem a conhecer por dentro da sua roupa. E, sobretudo, não se esqueça que o seu "target" são homens, Dos 8 aos 80 anos. Mas se aviar os outros, melhor ainda. Não desperdice nenhum. Não se preocupe que as mulheres vêm por arrasto.
3. Nunca deixe de falar de coisas intimas em público, desde que o faça de uma forma explícita e mesmo que não venham a propósito. A sua intimidade deve ser sempre uma coisa para por a descoberto e para partilhar com quem a ela quiser aceder. Sempre: livremente e sem limites. Note que só interessa a sua intimidade física e é essa que interessa revelar. Escusa de falar de outros assuntos como da sua família ou dos seus gostos. Nunca corra o risco de falar de intelectualidades.
4. De vez em quando chore um bocadinho em público  mas só se forem lágrimas a correr pelo canto do olho com pestanas postiças em modo de "over-make-up" e sempre com aquele esfumado nos olhos, nem que sejam 8H00 da manhã. De outra forma; não tem tanto impacto. Limpe-as (as lágrimas) com as suas lindas unhas de gel que devem ter sempre (mínimo) 2 a 3 cm de comprimento.
5. Fale sempre das partes íntimas do seu corpo e revele a cor da roupa interior, apontando diretamente para ela. Se a conseguir mostrar: melhor ainda. Se quiser exemplos, mande-me um e-mail que eu envio-lhe o endereço do link. Mas as manhãs da TVI são sempre uma excelente escola. Não perca que aprende muito.
6. Não se esqueça que o segredo é mostrar-se e, por isso, não se oriente por critérios absurdos como o bom gosto e a elegância, Para si, o seu critério deve resumir-se a uma palavra muito mais simples e caseira: sexy. Não tenha medo de se mostrar. Incluindo em modo de celulite.

FONTE: http://dailycristina.com/




07/10/2014

Casaco de malha.

... keep it simple... Re-ciclar, re-usar, re-inventar.Palavras de ordem no bombardeio constante com as "novidades", "o que se usa", "as peças obrigatórias" para esta estação. E que me deixam em paz.
Nesta onda, num "mood" que quero manter, um casaco de malha salta para fora do fundo do armário em época de plena transição e, de repente, ganha o protagonismo do look. Que me fez sentir bem.
... Embora haja peças, em pleno radar, que já entraram na órbita mais próxima, claro. A órbita das "novidades irresistíveis". Por mil e mais um motivo. E ... não estão no armário...
Que tal?

23/09/2014

Badalhoqueira à vista de todos e em horário nobre.

Depois de ter passado a manhã em jejum forçado, fui tomar o pequeno almoço a um pequeno café. Só eu e dois empregados, um rapaz e uma rapariga. Perto do meio dia. Na televisão a apresentadora com um outfit disparatado e uma maquilhagem imprópria para um programa da manhã, com o pernil à mostra e cuja eleição como a mais "sexy" do ano me faz lembrar que os homens gostam é de celulite. Aos guinchos anuncia um programa que parece que começou ontem. Um mimo os comentários dos empregados do café e do que chamam às voluntárias que se prestaram a este programa . Vão do desavergonhadas a outros mimos que me encheram de risadas que aqui não  reproduzo mas que se iniciam com uns "oferecidas" e "porcas" que "vão para ali nuas dormir com 3 homens ao mesmo tempo". E acaba com um ultra e mega acertado "a culpa é nossa que vemos esta porcaria" e "um país com 35.000 pessoas a candidatar-se para as universidadesas e 115.000 a candidatar-se para este programa." Fiquei a pensar no "oferecidas" e no que resta, depois, reservado para estas pessoas que se prestam a isto, no final da badalhoqueira e da porcalhota: zero. Zero em intimidade, zero em interesse, zero em atração. zero em dignidade. Esqueceram-se que são pessoas. Sem ofensa para os animais. Porcas incluídas.
Alguém percebe isto?

22/09/2014

As novidades para um look dias de chuva!


Pela mão da Gucci e com este tempo, haja alegria! 

As botas estão mais quadradas à frente e usam-se de cano alto,
Mas agora o que interessa são os pormenores de COR 
e
as misturas inesperadas de CORES que vão do burgundy ao rosa choque passando pelo laranja






03/09/2014

Precisamos de mais. Back again!

Setembro. Mais. Mais aconchego. Mais sossego. Mais. Sinal mais. Mais para dentro e menos para fora. Mudança. Esta para menos. Ter menos, precisar de menos porque é isso que é ter mais. Alguns chamam-lhe "menos é mais". Escapadas à praia em presença das memórias do Verão que não queremos deixar. Mas os dias são mais curtos e chamam ao aconchego de casa, na chegada num abraço que apetece interminável, intemporal. Rotina.

Mas rotina com "m" de mudança. Concerto dos efeitos do Verão em estado de plena descompressão (tem dias...) e descontração. Agora apetece o regresso ao arranjo formal e a interrupção dos xanatos com sessões de hidratação, esfoliação, concerto dos efeitos do sol na pele e no cabelo. Sabe bem mudar a cor das unhas depois de um arranjo demorado das mãos e dos pés.
Mudança da roupa. Mais roupa em cima de nós. Com um número considerável de novidades que importa listar em breve em eleições que queremos sabiamente decididas por critérios de beleza, elegância, harmonia e quando a resposta ao que nos fica bem for um decisivo e inequívoco "sim", com exclusão de tudo o resto. O que nos fica bem e o que diz bem de nós. Sinal mais. Sempre.  Hoje choveu. E com ela a minha primeira eleição: as bermudas que andavam no meu radar, na forma exata em que gosto: calças de corte masculino inesperadamente cortadas pelo joelho.
Uma das presenças da próxima estação cujas novidades se me tornam urgentes trazer para aqui em época
que queremos de verdadeira mudança. E algumas são mesmo "novidades".
Depois de tanto tempo de ausência deste blog, aqui fica a promessa das "novidades" deste tão próximo Outono/Inverno  que me atraíram de forma absolutamente irresistível.
Quanta à minha ausência deste blog, ando aqui a ganhar coragem de contar... ou não?
Raça de indecisões...
Por agora ficam as fotografias com cabelo em estado de saída corrida do ginásio, tiradas de corrida e, portanto, ....


02/08/2014

Essenciais de elegância, classe, estilo, intemporalidade e modernidade

Essenciais de elegância, intemporais que têm a ver com moda mas infinitamente mais com estilo, classe, sem ceder um milímetro em modernidade. Inspiração em época de saldos porque bom e barato normalmente não se cruzam a não ser em época de saldos.
Peças e acessórios que asseguram um look acertado e de bom gosto, que conferem resmas de estilo e que, de preferência, é aconselhável que sejam de boa qualidade porque só essa se estiliza em formas irrepreensíveis e se "eterniza" em anos e anos de uso. 
Tudo o resto se reduz, mais tarde ou mais cedo, a muita "parra e pouca uva", merecedora de uma resposta decisória de prescindível para conseguir uma peça que nunca passa.

Aqui vai:

01/08/2014

O "s" de saldos e de Sabedoria.

Perceber, em fim de saldos de 50% mais 20% ( e com a sensação de que o Verão mal começou...) que uma t-shirt de lantejoulas com um ananás no meio, perdida no meio da confusão, nos vai dar imenso jeito.
Sabedoria. Para os saldos e para tudo o resto.
Para perceber o que nos dá jeito e o que nos fica bem. Sabedoria em decisões no meio dos saldos de fim de coleções (não de época porque esperamos ansiosos o Verão tardio) mas também sabedoria no pequeno e no grande, no pouco e no muito,no temporal e no Eterno. Sabedoria. No meio do turbilhão da vida, das (in)decisões, dos (des)caminhos, dos (des)encantos, dos (des)prezos. Sim. Definitivamente o nome do que preciso começa agora por um "s", mas um "S" grande que é o "S" da Sabedoria. Não é o euro milhões. É mais do que isso.
Esta (t-shirt) é do El Corte Inglés (da Hope).
O blazer também é dos últimos saldos, mas da Bimba & Lola. As sandálias ... os xanatos ... com inspiração birkenstock (de que não... gosto) mas cuja pedraria os torna tão femininos quanto irrecusáveis. Da Zara. Até a Coco Chanel se inspirou nos ultra-masculinos fatos dos soldados para o seu eterno e imortável casaco ... Um dia conto esta história. Amo estas transformações dos estilos, as inspirações vindas do absolutamente inesperado e que se materializa em coisas de uma atração absolutamente fatal e irresistível.

31/07/2014

Re-ciclar. Re-usar. Re-inventar.

Foi hoje que me deram conta que esta blusa era girissima (já anda no meu armário há tantos anos que me esqueci que era fora do vulgar) porque eu podia usar a gola com outras camisolas, t-shirts ou blusas. Hesitei. Mas verifiquei que, no final das contas, ficava bem. A verdade é que às vezes apetecem folhos, ao melhor estilo "lady" ou simplesmente "frou-frou".
Esta gola pode ser feita por uma costureira qualquer. Faz parte da blusa, mas hoje deram-me conta disso.
E, só por isso, para aqui veio. Em fotografias de final de dia a ... enviar e-mails... Há que aproveitar o tempo :) :) :)
Espero que dê boas inspirações.