02/03/2015

Blogs

Viseu-Lisboa a ver os blogs mais lidos do meu País. Para além do enjoo que foi, penso em que País eu imagino que vivo e que País real é este. Não sei como é que as pessoas podem gostar tanto de coisas tão pirosas, tão pirosas, tão pirosas. Mini-saias do mais mini com saltos altos dos mais altos, lacinhos de tule e penas na cabeça, coisas íntimas que se tornam públicas ao ponto de eu agora não poder ver o marido de uma sem o imaginar na casa de banho, sentado no trono. A senhora resolveu, há uns tempos (bastante porque foi na  última vez que entrei naquele blog)  descrever o homem na casa de banho e agora resolveu pôr fotografias do homem no blog. A culpa de ele ter ficado com cara de traseiro foi dela que não tinha nada que contar as aventuras do homem na casa de banho, por mais interessantes que fossem
Depois falam de coisas de que sabem zero, como produtos de cosmética e outras coisas assim e concluem que é "o melhor do mundo" sem nunca terem experimentado mais nada na santa vidinha. As marcas pagam-lhe porque são muito lidos.
Mas os leitores alinham no mesmo "style". Vão com cada comentário que até dói. Insultam-se uns aos outros e às blogers, arranjam umas confusões por causa da porcaria de um blog que só visto.
Há muito tempo que não me dava conta disto. A minha memória é selectiva, nasci assim e não consigo guardar imagens que me arrepiam.
Bem sei que eu também não me lavo com a água toda. Mas há limites para a piroseira. E, já agora: para a língua porque há coisas íntimas que não são para partilhar com o povo todo.
E o que mais me confunde não é a piroseira. É mesmo não perceber porque é que as pessoas gostam disto.

27/02/2015

Bolas

Bolas. Bolinhas. grandes, pequenas, médias. Em tudo.
Vão ser uma presença na nova estação que para nós começa já.

26/02/2015

A discriminação da LGBT (liga das lésbicas, dos gays, dos bisexuais, trangêneros e intersexuais)

Estava eu a preparar bifes para o grelhador (já agora: sem sal porque me disseram no Mercado de Campo de Ourique que o sal só se põe depois dos bifes grelhados porque encolhe e queima a carne) cheia de atenção (já agora: o tempo de grelha é fundamental para obter uma carne tenra) ouço nas notícias (já agora: eu ouço o telejornal enquanto estou a cozinhar) que a liga dos gays, lésbicas, bisexuais e dos intersexuais tinha qualquer coisa a dizer sobre discriminação pelo Estado Português e que estava metido nisso a Amnestia Internacional ou qualquer coisa do género.
Ora  a LGBT é a maior discriminadora de todas.
Mete gays, lésbicas e bisexuais. Mas depois só lá mete também os intersexuais.
E os subsexuais, os infrasexuais, os intrasexuais, os sexuais assim-assim, os sexuais em part time, os sexuais em full time, os tarados sexuais, não têm direito, heim?
Porque raça lá mete os intersexuais e não mete os intrasexuais? Fizeram-lhe algum mal? Têm alguma coisa contra os intrasexuais, heim? E contra os tarados sexuais, alguma coisa contra? Fizeram-lhe alguma coisinha para os meterem de fora? Heim? Heim?
O que tem um intersexual a mais que um intrasexual não tenha, heim?
E o subsexual? E, coitados, os infrasexuais? Heim? São infraexcluídos pela LGBT? Não precisam de apoio é?
E já agora os tri-sexuais? E os quádruplo sexuais? têm quatro vezes mais direito que os bi sexuais que só são bi. Os quádruplo-sexuais são ao quádruplo, são duas vezes mais que os bi. E os intrasexuais também têm tanto direito como os intersexuais. Para já não falar dos tarados sexuais que esses, então, não fazem outra coisa na vidinha. Deviam ser os primeiros da lista.
Raça de gente discriminadora os da LGBT.

25/02/2015

Calças à "boca de sino"

Já andou neste blog, pela simples razão de que gosto de amarelo limão e de cores alegres para dias de chuva. Ora aqui está ela, "casada" com um look setenteiro, com algo "folk". 
Amarelo com preto.
Ficou assim:

23/02/2015

"Denim on Denim"

Ganga + ganga + ganga .Ganga, incluindo em tecido estruturado, numa panóplia que vai do azul mais escuro ao claro quase branco. Ganga em blusas, blazers, vestidos até às "eternas" calças.
Ganga com ganga é uma tendência clara desta próxima estação, a ser adotada desde já, desejosos que estamos da primavera.:) :) :)

Para já, um gosto aliada ao novo formato de calças, À "boca de sino". Cintura: subido, claro.


O efeito é este (só acho que lhe falta um cinto), completamente "setenteiro":

22/02/2015

Casamento.

Depois do evento de ontem em que, naquele auditório com mais de 400 pessoas, senti a presença física do Espírito Santo que agora peço que renda em cada uma das pessoas, acordei com esta ideia fixa na minha cabeça, que não me tem saído e não sei de onde veio. 
Aqui fica: ainda bem que o "meu homem" (= expressão completa e totalmente da minha origem, de Viseu) e eu: (i) jantamos juntos todos os dias (ontem: excepção) e (ii)  vamos correr juntos aos Domingos de manhã sempre que podemos. 
Aí está. Depois destes anos todos descubro:
Pontos de encontro: fazem parte de um casamento. 
Deparo-me tantas vezes com o facto iniludível de casais (tantas pessoas!) sem pontos de encontro e em que os locais de encontro - o tecto, a mesa, a cama - passam a ser de desencontro.
É que não basta viver juntos. É preciso mais. Muito mais. Mas um "muito mais" que é "muito simples".

20/02/2015

Biker jacket + biker boots + penas = ?

Já usei esta camisola com esta saia vezes sem conta, como aqui em Londres. 
Hoje resolvi "montar-lhe" este "biker jacket" e completá-lo na mesma onda "biker" com estas botas.
O resultado foi este:

   



19/02/2015

Stan Smith. Adidas. "Cool" !


- "P., Stan Smith diz-te alguma coisa?"
- " Claro. Ténis da Adidas".
Sim. O meu colega ultra estiloso P. (eu trabalho com homens muito estilosos, mas este , além de bom gosto, tem "radar" que é coisa que falta a muitos homens) sabia o que eram os Stan Smith não obstante ter uma década de idade a menos do que eu.
Os Stan Smith são esses mesmos.
Vêm da década de 70 do século passado. Começaram por ser ténis para jogar ténis mas acabaram por se tornar um clássico do "casual wear" que agora vêm catapultados para todos os outfits. Têm muitas décadas de existência e trazem-me muuuuuuuiiiiiiiitas memórias. Agora tornaram-se icónicos, vá-se lá saber porquê. Tantas memórias me trazem que os adoptei sem reserva, nesta edição especial de efeito "envelhecido" porque me afasta do "branco tinta".
Num ano em que os ténis foram a peça-chave a entrar no casual dress code mas, sobretudo - e isso é a novidade reinterpretada com origens nos anos 70 e 90 do século passado - em formato casual chique e - novidade! - passando a acompanhar um outfit formal. Por mim: no ano dos "ténis" estes são os verdadeiros, eleitos, porque me trazem tantas e tão confortantes memórias. Só por isso, vale a pena andar com eles nos pés. Uma tendência que vamos ver repetidas nas próximas estações. Mas sobretudo a história de uns ténis (=sapatos concebidos para jogar ténis) que se tornaram um clássico.






18/02/2015

Inspiração.

Quando me vesti assim tinha vindo do Teatro no dia anterior e realmente pensei que a combinação destas duas cores - o turquesa com o roxo - tinha vindo do guarda roupa absolutamente fabuloso e inspirador.
Hoje, no El Corte Inglés, percebi que esta inspiração me vinha de mais longe, e da alta joalharia.
Há muito tempo que na Bulgari andam com esta inspiração na cabeça deles.
Pedras perfeitas de "primeira linha". Olho para cada peça como para uma obra de arte num museu. O preço passa para segundo plano quando a beleza está presente e nos enche de luz. Sim, são para quem pode. Mas enquanto estiverem na montra, limpo a cabeça e encho-a de coisas bonitas. O que é sempre muito bom.
É sempre uma coisa boa ter as montras para ver. E já agora, as ruas para passear. Sobretudo as ruas de Lisboa (e do Porto e de Viseu e de ... e de ...) tão bonitas e tão cheias de luz.
Às vezes penso que é preciso tão pouco para ter tanta beleza e apropriar-me dela na minha cabeça.





E, por último, meu querido blog: se aquilo ali fosse um supermercado, tinha vindo aviada com com um destes, técnica "Tubogas" registada pela Bulgari.
Parece um anel normal, mas não é. É muito depurado mas cheio de design. Tudo o que precisamos mesmo, portanto.  ;) ;) ;)



17/02/2015

Sábado. Respostas definitivas: as que dão as razões que preenchem os anseios do coração.

Esgotou. Já não há bilhetes de ingresso.
Prova provada de que procuramos as razões últimas que respondem de forma definitiva e plena aos anseios do nosso coração.
No próximo sábado estarei aqui, numa conferência para jovens universitários, com oradores que vão do Fernando Santos à Aura Miguel e à minha querida Marta Mendonça e tantos outros: 14 no total, em 7 minutos para cada uma das intervenção. Ou seja: para ir ao essencial e porque é só esse essencial que interessa e nada mais.
 Estarei de coração e alma, mas antes de tudo: estarei com a minha oração porque só a oração é omnipotente = tudo consegue, tudo alcança. O tema da minha intervenção? Uma nova cultura e uma nova moda. Promete porque a novidade é muita.