23/07/2014

Pura inspiração.

"O segredo da mudança consiste em pôr toda a energia a construir o novo, não em lutar contra o velho". Dizia o meu amadissimo Sócrates (o grego, o antigo, o filósofo, o verdadeiro, o genuíno). E, por este caminho, podemos cruzar-nos com um surpreendente "melhor eu". Amo os padrões. Transportam-me para os meus anos 60, 70,... do século passado que agora são deste século. Um novo regresso às origens. Neste século, este "agora" que nos pertence, com direitos de propriedade. Donos do nosso destino.
Com muuuuuito conteúdo que não precisa de andar ao léu. Um top curto e cortado nas costas. Que coloquei com um top interior da Zara daqueles que dão um jeitão, em todas as cores e em todas as formas. Porque "mente vazia é oficina do diabo", é sempre muito booooom ter muuuuito conteúdo. Muuuuito e booooom conteúdo.

Novidades

Pois eu agora venho ao meu blog porque acho muito foleiro deixá-lo há mais de um mês com a fotografia de uma mulher pendurada num carro de bombeiros vestida de fato de desporto.
Um vergonha inqualificável de gente de mau gosto.
E vamos lá dizer o que se passou para eu estar mais de um mês sem aqui vir que é muito mais prosaico do que se possa pensar.
O meu computador portátil (o de casa que eu não "blogo" no trabalho porque não tenho tempo para isso) fanou-se. Ficou sem escrever. O teclado finou. Na garantia.
Sem computador, sem blogue.
É o que acontece a uma mulher blogueira.
E ainda por cima o  computador estava no prazo de garantia.
Já tenho muitas novidades, incluindo dos ... saldos :) :) :). Fiz um bom proveito.
Já agora: o computador é um HP. Se puderem, não comprem. Ainda por cima, nas indas e vindas para arranjar, perdi a porcaria do carregador. E sem carregador, não funciona.

Breve, breve , breve: new look. Aqui, a um simples clique. Como sempre


11/06/2014

Luxo.

Foi um luxo. De repente, sem jeito nem preceito, vi-me neste 10 de Junho, feriado (por enquanto) sozinha, por minha única e exclusiva conta.
Um luxo. Luxo = o que é raro e bom. Não é que eu queira ter sempre o tempo por minha conta mas, considerando que isso não acontecia há anos: um luxo no verdadeiro e autêntico sentido da palavra. Se isso acontecesse todos os dias passava a ser uma grande seca.
Tempo para aviar o corpo e o espírito. Sem horas. Sem stresses. Sem ter o que fazer a seguir (não foi bem assim, mas pronto). Sem andar a correr. Não andar em stress para mim é hoje "o" luxo.
Meti-me no ginásio, aula de musculação. Saí sem duche, assim tal e qual, e fui para o estádio do Jamor correr junto ao rio e ao mar. A luz de Lisboa: outro luxo. Fui correr mas, sem saber, juntei-me aos bombeiros, aos excursionistas em camionetas de 51 lugares, aos  ranchos folclóricos, aos pic-nics com direito a arroz de frango e vinho tinto. Exposição de carros de bombeiros com mais de 70 anos que era para ficarem até às 8 horas (da noite) mas abalaram eram 5 horas (da tarde) porque o povo excitado quis montar nos carros e partiu vidros, jantes, manetes e outras coisas mais. Os bombeiros abalaram porque o prejuízo já era grande. O povo gosta e eu, que sou do povo, delirei. Há anos não via pic-nics com direito a arroz de frango e vinho tinto. Croquetes e bolos de bacalhau, ainda que vá.
Mas arroz de frango: um luxo. Um luxo simplesmente porque é raro.  Quem vai para um pic-nic com arroz de frango num tacho embrulhado num jornal? É um LUXO mesmo para quem não morre de amores por arroz de frango. Mas eu só de ver aquilo fiquei deslumbrada
Mas o meu luxo não acabou aqui.
A seguir à corrida no calçadão fui descansar para a praia. Para a ... praia de...Algés. Outro luxo. Porquê? Porque estava vazia. para além da porcaria, estava vazia. VAZIA. E as pessoas - poucas - que lá estavam, permaneciam CALADAS. Outro luxo, portanto. Lá estive esticada ao sol a ouvir a mesma música alternativa que o ZM (bom gosto! surpreendente gosto!) me gravou no Iphone de que não conheço uma única banda (acho eu..., além do Manuel Fúria e dos Radiohead) mas que amo de paixão todas as músicas. A próxima melhor que a anterior, sempre!
Um estornicanço na praia de Algés. ÚNICO senão: medo das pulgas. Mas isso é só porque onde há pulgas, eu apanho-as. Passo a vida com pulgas e tive que aprender a defender-me delas. Atraio pulgas e pronto. Posso andar de Rolex ao pulso, carteira Dior da minha mãe, tomar banho todos os dias (é costume) mas passo a vida a apanhar pulgas. Mas hoje NÃO. Praia de Algés! Foi o meu luxo (cheio de lixo) de hoje, num dia que acabou no Sushi Café das Amoreiras (com direito a saké quente :) :) :)!), cheio de celebridades, desde o Vasco Palmeirim até ao Michael Carreira. Um dia que foi precedido a uma visita guiada à loja da Miu Miu na Avenida da Liberdade que está agora com uma exposição de vestidos únicos, alguns vintages que são - cada um - uma obra de arte única, irrepetível, absolutamente deslumbrante e de que nunca mais me esquecerei.
Mas o meu luxo foi o bocado que passei a correr seguido dum descanso na praia de Algés, assim mesmo, vazia, cheia de porcaria e em fato de desporto. E sem pulgas. Estranho, não é?

04/06/2014

Que tem a ver o conteúdo com as calças? .... Perfect matching...

O mês de Maio: dos mais bonitos do ano e aquele em que eu estou à
espera ansiosamente que ... acabe. E só quem (como eu) trabalha em fiscalidade compreende isto. A minha ausência deste blog... o mês de Maio. Mesmo chuvoso é bonito.
Hoje descobri no meu roupeiro "the perfect matching". Como sempre, sem dar conta. Puro acaso.
Eu que não sou dada a coisas combinadinhas. Ela (a carteira) é Marc Jacobs de há anos, ele (o lenço ou écharpe) é Tommy Hilfiger deste ano, em linho, com as minhas cores e para as necessidades de enroscar o pescoço.
Lembram-se daquela que foi a minha eleição de calças para este ano?
Ora agora resolvi compará-las tal como estão no site oficial e vestidas por uma pessoa normal e corrente (=eu). As fotografias não ficaram bem mas, mesmo assim, eu aqui as publico.
O que tem o conteúdo a ver com as calças???? (prometi ser bem educada e não usar os outros termos) Acho que .... passa por alguma coisa como "the perfect matching".....

21/05/2014

Primavera. Galochas em colares de pérolas.

"O que não tem remédio,  remediado está".
Galochas com pérolas em tamanho "XL"? E porque não? Tira o ar casual, campestre às galochas e compatibiliza-as com um look urbano em dias de trabalho ... chuvoso. Chuva em Primavera, mas chuva torrencial. E se não podemos remediar a chuva, mais vale aceitá-la.
Já agora: alguém por aí reparou na luz do final do dia de hoje? eram as 7 da tarde. Deslumbrante esta luz!
 Vamos ver o efeito "pérolas + galochas" aqui, num look que é "mais do mesmo". Como esta chuva que não nos deixa, mesmo depois de atingirmos temperaturas do pino do verão e que nos faz andar a todos, com os efeitos no corpo da falta de habituação a estas diferenças de temperatura que foram, da semana passada para esta, de quase 20 graus.

19/05/2014

Felizes. Keep it simple.

Estas ruas para correr, este Tejo para ver, este amor para amar, este sol de Domingo. Que ninguém pode tirar.
E correr, correr, correr, ao som irresistível de "contempla os lírios do campo" do Manuel Fúria.
Tudo o que quero por agora.
Nada mais.
Ser felizes.
 

"keep it simple"
 
THANKS GOD!
 
Por ter tanto com tão pouco.



 

08/05/2014

Conclusões importantes em dia de inspiração das cores da natureza.

Num dia com uma conversa fabulosa e das mais interessantes que tive nos últimos tempos, com um homem por quem passam e passaram os cabelos mais famosos de Portugal e arredores, cujas conclusões foram umas mais prosaicas e outras mais profundas, mas todas importantes, e com as quais eu não podia estar mais de acordo, que aqui vão:
1. A beleza existe e tem critérios que são objectivos. O gosto discute-se e educa-se. Sem imposições e com pleno respeito pelo que as pessoas gostam, pelo seu modo de ser, das suas circunstâncias, da sua vida. Sem esquecer o seu físico e a sua idade. Todas as pessoas chegam à beleza porque é a única que "faz sentido" (gostei imenso desta expressão), embora ... nem todas sejam muito inteligentes ou tenham diferentes tipos de inteligência.
2.  Devia-se acabar com as leggings e com roupas com decotes grandes com t-shirts brancas por dentro com decote pelo pescoço. As mini saias ficam bem a muito poucas mulheres (muito jovens e com pernas muito altas) e ficam mal a quase todas.
3. Devia-se perceber que túnicas são túnicas e vestidos são vestidos.
4. Dizer que a idade está na cabeça é uma visão muito simplista das coisas (que, no limite, leva a fazer figuras tristes) porque a idade também está no corpo e isso é um facto inexorável.
5. É pouco inteligente pôr em cima de nós coisas só porque se usam. O critério de eleição deveria ser sempre o que nos fica bem.
6. O critério de usar o que é "prático" às vezes conduz à antítese da elegância e a efeitos como o "desleixo" e outros bastante ... depressivos.
7. A elegância, o bom aspecto exigem respeito por si próprio e deixar de lado as desculpas (mil e uma) para não se arranjar e se andar desleixado. Ainda se vêm muitas pessoas com ar desleixado e  mau aspecto.
8. Uma mudança radical de look só faz sentido quando há uma mudança interior, seja ela de que natureza for. De outra forma: não faz sentido.
9. O efeito "cara lavada" é mesmo só "cara lavada". Pode ficar bem a pessoas agraciadas pela natureza mas não é esse o caso normal, sobretudo a partir de certa idade. Basta, às vezes, matificar a tez com uma base ou um pó. 
Concordei, concordei, concordei.  Que homem !!!!! tem imenso mundo, imensa experiência, gosta do que faz e um bom gosto e classe invulgares.
Hoje, inspirei-me nas cores da natureza. A natureza é uma fonte inesgotável de inspiração e ... de acerto (no que diz respeito à inspiração, não ao resultado final que esse ... enfim ... tem dias... e dias...).
E... hoje... foi assim... aqui vaaaaaai!!!!! 

05/05/2014

"Vi, experimentei e gostei" - Andy Warhol em Pepe Jeans

Talvez não devesse, não seja "ortodoxo" ou espectável, mas Andy Warhol é um dos homens mais fascinantes, mais marcante para mim. Talvez isso resulte do meu "dark side". Fascina-me, engancha-
me, encandeia-me trazer para o mundo da "arte" detergente da roupa ou sopas em lata.
As pirâmides  das sopas Campbell e do detergente da roupa, os quadros das pop star em cores fluorescentes a lembrar livros aos quadradinhos. As "musas" que aproximou do povo em desenhos populares como Marylin, Jackie Kennedy, Elisabeth Taylor, ...
Numa faceta mais desconhecida, a sua busca do transcendente, talvez imortalizada na "The Last Supper (yellow)" e "The Last Supper (Christ 112 Times)", "Cross" e "Crosses" em amarelo sobre negro e eu não consigo ficar indiferente diante daquela cara de Jesus e destas cruzes vazias num amarelo de interpelação sobre um negro profundo e fechado. 
Lembro-me dos excessos deste homem que na sua arte multifacetada (do cinema à moda, pintura,...) marcou (penso eu que de forma definitiva) o caminho da arte dos anos seguintes à década de 60 e 70. Ainda hoje o famoso Studio 54 de Nova Iorque continua a fascinar, fazer história, não só porque marcou uma época mas por tudo quanto representou na alteração dos costumes, com drogas à mistura e, infelizmente, outros excessos. Neste Andy Warhol me surpreendo com a genialidade, me cruzo com a decadência da natureza humana e a tendência inultrapassável para o transcendente. Tudo no mesmo homem que é um bocadinho o que encontro em mim própria, genialidade excluída.
A Pepe Jeans adquiriu direitos de utilização das obras dele e há peças que me maravilham todos os anos.
Este ano é este blazer que não é blazer, mas casaco, que não é casaco, mas camisa que não é camisa mas abrigo para os dias mais quentes de Verão. Corte a direito, tecido ultra fino, riscas prestas e brancas em "contra-mão" (as da frente ao alto, as de trás na horizontal) num efeito típico da Pop Art.
O forro ... fabuloso e surpreendente. 
Vamos ver:

01/05/2014

Inkkas! Vi, experimentei e... adoptei:" cool"!

Sim! Sim! Sim! Sou filada, enganchada, apaixonada pelo estilaço dos países da América Central. A começar pelos exclusivos chapéus Panamá (feitos no Equador) cuja manufactura e palha são absolutamente únicos e inimitáveis.
Fico enganchada pelas cores das roupas e dos acessórios destes países que me deixam simplesmente enguiçada em modo de "atracção irresistível" (aquele turquesa com o coral...). Agora descobri os "inkkas".
Em Lisboa encontrei-os no Her Closet nas Amoreiras.

Vamos ver: