18/01/2014

Notícias.

Eu não abandonei este blog. Estou só a tentar arrumar o caos (aparente) em que se tornou a minha vida (nunca mais será igual) e isso tem-me absorvido todas as minhas energias e mais que tivesse.
Finalmente voltei à rotina, com visitas diárias ao ginásio (5ª e 6ª feira excluídos por exigências do trabalho mas incluí o fim de semana!) que me têm escorrido a cabeça por dentro. Eu não concebo a vida sem desporto. A ausência do ginásio aumenta o cansaço físico e diminui a força física, fora o resto da tonicidade muscular e, acima de tudo, da higiene mental que significa.  Eu acho que nós temos de ser mentalmente higiénicos o que significa lavar a cabeça de toda a porcaria que nos faz mal. Todo o género de porcaria: desde o stress acumulado a sentimentos negativos para com pessoas e situações. Mais uma vez: há que ultrapassar em nós tudo o que é raiva, rancor, má vontade porque, nas relações humanas o positivo atrai o positivo e o negativo atrai o negativo.
Estive a ler isto e agora definiria o ano que passou como aparentemente o pior da minha vida (até agora), MAS com um número infindável de coisas boas que tenho de agradecer. As muito boas não se vêm, as trágicas não se entendem mas vêm-se e deixam sequelas.
Um estado de luto  inesperado, profundo, trágico, e uma adaptação à nova vida, à ausência física que coexiste agora com a presença da doença tão próxima em quem foi, em décadas, a âncora desta minha família e que pensávamos (irracionalmente) que iria ser assim sempre, o nosso porto seguro... A minha declaração quanto a tudo isto: tudo agradeço, tudo aceito e tudo ofereço e arranjo força a pensar nos outros, em todos os que precisam de mim .... bem ...  e não com cara de desenterrada com que me levanto todos os dias.
E nestes dias deixei de escrever aqui porque isto é um blog que não considero apropriado para divulgar estados de alma que já se percebe que não estão no "mood" adequado para o efeito. 
Tudo ficou diferente, sobretudo porque as coisas deixam de ter importância perante a evidência, vivida, de que tudo é tão frágil e passageiro, não definitivo.  O nosso destino não é esta terra. Ponto final parágrafo.
Posto isto, eu acredito que, na vida, não há "sorte", não há "acasos" e nós somos senhores do nosso destino. A sorte tem-se ao jogo. Não na vida. Também me irrita profundamente dizerem que o ano novo corre como correr a passagem de ano. Eu estaria completamente lixada condenada porque estive numa festa maravilhosa mas com uma dor de cabeça do catano.
Fora isto, há um mundo infindável de coisas que têm de vir para este blog.
As próximas vão ser sobre... saldos e ... desintoxicação dos excessos das festas para obter um corpo lindão por dentro e por fora. Que tal?
Espero que gostem. O dos saldos vem já a seguir.
Beijo da Maria. 




1 comentário:

Rosarinho MB disse...

Minha querida,

Muita força! Lembro-me muito de si, a sério que sim. Muito embora não o demonstre, tenho-a presente.

Este blogue é espectacular. Não é como muitos blogues de moda que aí andam (que também são muito bonitos). Este destaca-se. Tem algo de diferente. Além do bom gosto, do estilo sofisticado e do excelente humor, este blogue dá-nos lições de vida espectaculares e sábias...como nenhum outro o faz!

muitos parabéns, querida Isabel.. e escreva, escreva, escreva!
beijinhos